James Brown em Belo Horizonte

Combinamos este ano de viajar por Minas Gerais, queríamos conhecer melhor este Estado que é o quarto em extensão territorial e o segundo mais populoso do Brasil.

As chuvas de verão estão castigando as Gerais este ano. Tem chovido muito e até agora, mais de 123 municípios estão em estado de emergência.

Fugindo da chuva, chegamos em Belo Horizonte, onde tínhamos amigos, tempo e espaço para decidir os próximos passos da viagem, já que com as chuvas, parte do nosso roteiro foi alterado.

Após alguns dias de preguiça e ócio, visitamos um amigo, Éder, que nos contou de um encontro de rua que acontece todos os Sábados, perto do Mercado Central em BH. E que ao som de James Brown as pessoas dançam, muitas vestidas a cárater: terno, gravata, sapato bicolor. Na rua. Ficamos intrigados. Continue reading “James Brown em Belo Horizonte”

Tango Queer

Uma das melhores experiências que tive em Buenos Aires foi o Tango Queer. Eu estava na cidade a trabalho e só fiquei sabendo do lugar no dia que deveria ir embora. Acabei atrasando a volta para poder ir até lá.

O tango é uma dança com papéis claros: O do homem e o da mulher. O homem conduz e a mulher é conduzida. O que o tango queer faz, não é simplesmente oferecer tango para gays, mas subverter os papéis, e de uma forma tão bonita e poética, que acabei fotografando em preto e branco. Mulheres conduzem homens, ou outras mulheres, ou são conduzidas por homens e outras mulheres, homens dançam com homens, e com mulheres, são condutores e conduzidos. Gays ou não, que importa? Não deveria importar dentro da sociedade também.

  • tango queer tango queer
  • tango queer tango queer
  • tango queer tango queer
  • tango queer tango queer
  • tango queer tango queer
  • tango queer tango queer
  • tango queer tango queer
  • tango queer tango queer
  • tango queer tango queer
  • tango queer tango queer
  • tango queer tango queer

 

Mato Grosso

Esta viagem aconteceu em Setembro, num momento meu de reestruturação interna, buscava novas alternativas depois da minha saída da ONG onde trabalhava e dava aulas de foto.

Sentia uma necessidade de silêncios urbanos e de reencontros com a natureza, com novos ares, outras pessoas e formas renovadas de encarar a vida e, principalmente, as complexas questões do Brasil.

Não fotografei muito. Não com a câmera, pelo menos. Mas gostei muito do pouquinho que fiz.

  • esantana_matogrosso-4592 esantana_matogrosso-4592
  • esantana_matogrosso-4582 esantana_matogrosso-4582
  • esantana_matogrosso-4567 esantana_matogrosso-4567
  • esantana_matogrosso-4566 esantana_matogrosso-4566

Brasília – Paisagem

A paisagem natural de Brasília me encantou tanto quanto os edíficios públicos.

Gastei horas inteiras admirando as árvores, os desenhos e o céu, o maravilhoso e muito famoso céu brasiliense.

  • esantana_brasilia-0561 esantana_brasilia-0561
  • esantana_brasilia-0685 esantana_brasilia-0685
  • esantana_brasilia-0706 esantana_brasilia-0706
  • esantana_brasilia-0705 esantana_brasilia-0705