Maya!

elaine_santana_maya-4809
Rodrigo fazendo pele a pele (essencial para o desenvolvimento do prematuro) no dia seguinte à alta. Junho/2013. Foto: Elaine Santana

Faz um pouco mais de um ano que escrevi sobre o Dia de Los Muertos na Bolívia.

Aquele foi nosso último dia de Bolívia: viajávamos em direção ao Peru. A linda festa dos mortos. Chorei com o acolhimento de uma família, no Cemitério Geral em La Paz, um senhor me explicando o sentido de cada uma das oferendas. Estava explodindo de emoções naquela semana, a vida à flor da pele, sentindo tudo, intensamente… Naquele momento, nem imaginava que já crescia dentro de mim a Maya. Ela me pedia descanso, repouso, introspecção, mas eu tinha planos profissionais: algumas sessões de fotos de um trabalho que fiz para uma ONG Boliviana.

Nunca foi minha intenção ficar tanto tempo sem escrever aqui no blog, mas nossa vida foi mudando rapidamente, e estávamos sempre tão ocupados que acabei não contando da gravidez. Tantas histórias, tantos textos por escrever, as fotos já editadas, só esperando publicação, e eu querendo seguir a ordem cronológica da viagem, contar da Bolívia e depois contar da chegada ao Peru, que foi quando comecei a desconfiar da gravidez (num barco, no lago Titicaca, voltando para Puno), do momento que a certeza começou a se instalar (no trem, acompanhada de um amigo nova iorquino, indo em direção a Águas Calientes). Queria dividir os momentos belos, como o que tive no ônibus em direção a Machu Picchu: me emocionei pensando no mundão que apresentaria para o serzinho que crescia dentro de mim. Continue reading “Maya!”

NYC Moms

Comecei a fotografar mães enquanto morava e estudava aqui em Nova Iorque.

Nova Iorque é a cidade mais populosa dos EUA com mais de 8 milhões de pessoas, cerca de 36% de seus habitantes nasceu em outro país. Segundo a Wikipedia, mais de 800 idiomas diferentes são falados nesta cidade, tornando-a cidade com maior diversidade linguística do mundo.

Os retratos de mães com sua prole visava documentar justamente esta diversidade.

Mas meus dias de moradora nova iorquina acabaram antes que eu achasse que tinha terminado o projeto e voltei para o Brasil pensando que um dia ainda retornaria a NYC para finalizá-lo.

Agora, voltei para passar um mês. E retomo o projeto.

Para localizar qualquer uma das mulheres uso qualquer fonte disponível: publico numa lista local (craigslist), falo com amigos, posto no facebook, mando emails, ligo para pessoas. Demora, mas sempre aparece gente querendo participar.

Hoje vou finalmente fotografar Michelle, uma indiana que tem uma filhinha de 16 meses. E a partir de amanhã tenho outros retratos para fazer tambem.

Arrumando o equipamento hoje, preparando as cabeças de flash, difusores, câmera e filme, vou entrando no clima da sessão e vai me batendo esta alegria de saber exatamente porque escolhi ser fotógrafa, e porque apesar das dificuldades, frustrações, pessimismos ocasionais, inseguranças e conta cada vez mais vazia no banco, continuo fotografando:  a poesia única que cada pessoa imprime em sua própria vida e que eu tenho a chance de presenciar. 

  • Kate Kate
  • Fanteema Fanteema
  • Edna Edna
  • Angela Angela
  • Andrea Andrea

 

Dansamaúma & Maternidade…

Estas últimas semanas tenho trabalhado num projeto maravilhoso de fotografar. O final da segunda gravidez da Regiane e as aulas de dança que ela faz com a Larissa Carpintero no Samaúma (http://maternidademovimento.blogspot.com/) em Campinas, São Paulo. No começo, a Lala me chamou para participar um pouquinho e entrar no clima. Adorei tanto que acabei resolvendo fazer aulas de dança aqui em Sampa.

Que delícia estas tardes de fotos e danças e cercada de ideias interessantes sobre parto e maternidade. 

  • elainesantana_-1469 elainesantana_-1469
  • elainesantana_-1455 elainesantana_-1455
  • elainesantana_-1454 elainesantana_-1454
  • elainesantana_-1425 elainesantana_-1425
  • elainesantana_-1354 elainesantana_-1354
  • elainesantana_-1197 elainesantana_-1197
  • elainesantana_-1144 elainesantana_-1144

Maitê

Maitê: em 18 minutos ela tinha feito caretas, sorrido, brincado, corrido, chorado, apanhado uma flor, aberto um Kinder Ovo, colocado um pirulito com plástico e tudo na boca, e finalmente, sentado calmamente em cima da mesa e aceitado os carinhos da mãe.

  • maitê maitê
  • maitê maitê
  • maitê maitê
  • maitê maitê
  • maitê maitê
  • maitê maitê
  • maitê maitê
  • maitê maitê
  • maitê maitê
  • maitê maitê
  • maitê maitê
  • maitê maitê