Oficina Santa Laura ou Um Pouquinho de História Não Faz Mal a Ninguém

Vende el “huasito” sus vacas,
sus caballos ensillados
porque dicen que en el Norte
ganan plata a puñados.
P’al Norte me voy, me voy
p’al Norte calichero
donde seré un caballero,
de bastón y de “tongoy”.
Canción popular en la época de los enganches*.

A Oficina Salitreira Santa Laura fica a 47 quilômetros de Iquique na região de Tarapacá, no norte do Chile. Oficina salitreira é o nome que recebiam os diferentes centros de exploração que processavam salitre na região que hoje pertence ao Chile.

Nesta região, o sol brilha sempre, incansável. É difícil mesmo encontrar uma sombra durante o dia. Mas assim que o sol se põe, o frio se instala e só vai embora quando o sol aparece novamente no dia seguinte.

Para visitar a oficina, dá para contratar um passeio turístico, mas fomos até lá por conta própria, no carro caindo aos pedaços que tínhamos alugado por uns dias. Avistamos a oficina de longe cercada pelo deserto incandescente. Continue reading “Oficina Santa Laura ou Um Pouquinho de História Não Faz Mal a Ninguém”

Iquique e a região de Tarapacá

Acampando no Parque Nacional Pampa de Tamarugal, uma das nossas noites mais frias.

O relógio mostrava 5:50 da manhã. La Tirana, a principal festa da região, começava naquele dia. Não tínhamos feito reserva em nenhum hotel e todos os números que chamávamos nos informavam que não havia vagas. Tínhamos dormido duas noites no carro em San Pedro de Atacama, o calor e poeira do deserto tinham deixado meu corpo ressecado e sujo e eu ansiava por um banho quente. Sentamos irritados no banco frio da rodoviária, pensando em alugar um carro, mas a loja só abria às 9. A rodoviária oferecia banho ‘sin calefont‘, ou seja, frio. Decidi esperar por uma solução mais conveniente. Continue reading “Iquique e a região de Tarapacá”

Freirina e os Porcos

Flor na região do deserto florido

Freirina é o nome de um pequeno povoado situado na província de Huasco, no chamado “pequeno norte” do Chile. Fundado em 1752, é uma das localidades mais antigas da região. Reúne atualmente cerca de 5 mil habitantes, apenas. Fica na província de Huasco banhada pelo rio de mesmo nome, na III Região de Atacama. O clima é semi-desértico costeiro, sofrendo influências do deserto e do oceano. A população vive da agricultura (cultivo de oliveiras para fabricação de azeite e azeitonas para consumo local e exportação), pesca e turismo. Influenciada pelo Pacífico, a região floresce na primavera: a paisagem árida dá lugar ao deserto florido. Continue reading “Freirina e os Porcos”

San Pedro de Atacama

Estrada de Machuca, San Pedro de Atacama

Sempre imaginamos que San Pedro de Atacama seria um lugar extremamente turístico. Cada um dos viajantes que conhecemos estava a caminho deste lugar.

Talvez, no entanto, não estivéssemos preparados para o que encontramos. Talvez tenham sido os dias passados em companhias agradáveis e despretensiosas em Huasco. Talvez sejamos nós, em nossa tentativa de vivenciar o autêntico e procurar experiências únicas que não tenham sido pré-empacotadas para nossa apreciação (e comodidade).

A região de San Pedro é impressionante e assistimos toda a imensidão inspiradora do lugar de queixo caído, coração palpitante e exclamações de admiração, mas para conseguir fugir dos pacotes pasteurizados das agências de turismo, tivemos que gastar um bom dinheiro. Continue reading “San Pedro de Atacama”

Huasco

 

Barcos decorados com flores para a festa do dia de San Pedro

A experiência na pequena cidade costeira de Huasco – pesqueira e produtora de oliveiras para azeitonas e azeite – se confunde com a experiência de conviver com Pipo, poeta e arquiteto que nos hospedou em sua casa, na zona rural de Huasco Bajo e que na primeira noite já nos recebeu com comida, amigos (Calu, Axel, Yuri), vinho, a arredia gata Picha e Patudo, cachorro intrometido que tentava com determinação, roubar a comida dos nossos pratos. Continue reading “Huasco”

A Estrada. III Región, de Atacama.

Saímos de Carrizal Bajo em direção ao norte, pela costa. O objetivo era chegar até o Parque Nacional Pan de Azúcar, parando em alguns vilarejos ao longo do caminho.

O dia estava maravilhosamente quente e ensolarado na região onde a primavera deixa o deserto florido. Mas é linda mesmo com mais deserto que flores. De um lado, o mar, vasto e azul. Do outro, o deserto e as montanhas. O céu juntando os dois numa só paisagem. Continue reading “A Estrada. III Región, de Atacama.”

Carrizal Bajo

Depois de passar uns dias no Valle del Huasco, conhecendo a região e pesquisando para o artigo sobre mineração, seguimos pela Ruta 5, a principal rodovia aqui no Chile (que corta o país de norte a sul), para um pequeno vilarejo na costa chamado Carrizal Bajo.

Uma amiga, brincando, nos disse que o lugar deveria se chamar Bizarro Bajo, porque era estranho. Fomos ver com nossos próprios olhos.

Chegamos à noite, e rapidamente encontramos uma hospedagem barata no andar superior de um restaurante onde homens comiam e conversavam tomando vinho barato. Para pagar menos, aceitamos um quarto com uma cama de solteiro, o banheiro ficava em outro quarto, desocupado. E uma varanda com vista para o mar. Continue reading “Carrizal Bajo”

Valle del Huasco, Ouro e O Que Eu e Você Temos Com Isto

Ao seguir de carro pelas curvas da estrada da região do Valle del Huasco, não podemos deixar de notar as placas de protesto contra o projeto Pascua Lama e a empresa Barrick Gold. São muitas, de diversos tamanhos, em quase todos os povoados pelos quais passamos, e fazem referência à água e à empresa: “Água é mais importante que ouro”, “Água é vida”, “Não nos tirem nossas águas”, “Não acabem com nossa juventude”, “Morte a Barrick”. Continue reading “Valle del Huasco, Ouro e O Que Eu e Você Temos Com Isto”

Valle del Huasco

Viajamos num ônibus noturno de Santiago e chegamos em Vallenar de manhã e sem muita ideia de onde ir ou o que fazer, passamos algum tempo dando voltas no pequeno terminal, confusos depois da noite semi-dormida nos assentos semi-cama do ônibus da TurBus. No dia anterior, havíamos procurado hotéis pela internet, mas nada promissor, deixamos para decidir na hora. Na hora mesmo! Continue reading “Valle del Huasco”

Volta a Santiago

Depois de nossa ida a Cochíguaz, percebemos que carregávamos muitas coisas e decidimos voltar a Santiago por alguns dias para deixar um dos mochilões na casa de uma amiga. Queríamos sentir um pouco mais de conforto ao caminhar por períodos mais extensos com a mochila e para isto, precisávamos ‘deixar coisas para trás’ (um termo que usamos muitas vezes ao longo da viagem): muitas das roupas que trouxemos, e algumas amenidades que, não eram inúteis, mas poderíamos passar bem sem. Continue reading “Volta a Santiago”

Pisco Elqui

Acordei quando passávamos de ônibus pelas montanhas dos vales da região de Elqui, próximos a Monte Grande, cidade onde foi enterrada a ganhadora do Nobel de Literatura, Gabriela Mistral. Meu coração acelerou: uau, uau, uau, que lindo! era tudo que eu conseguia dizer. Estávamos cercados de montanhas, e nós, pequenos, dentro do micro-ônibus que ligeiro, fazia as curvas do caminho, revelando uma paisagem semi-árida, permeada aqui e ali por plantações de uvas, tangerinas e olivas. Continue reading “Pisco Elqui”

Mercado El Cardonal – Valparaíso

O Mercado Cardonal em Valparaíso, foi construído em 1907, funcionando como propriedade municipal até 1988 quando foi adquirido pelos então locatários.

Tinha ouvido falar que o mercado era pitoresco. Chegamos lá por volta de umas 16 horas, depois de passar o dia caminhando debaixo de um sol escaldante.

O comércio já estava fechando, e eu achei o lugar ainda mais incrível do que a feira que fotografei algumas semanas atrás, Continue reading “Mercado El Cardonal – Valparaíso”