Dia de los Muertos

Hoje é nosso último dia aqui na Bolívia, nosso último dia de visto válido e temos que sair. Nosso plano é voltar em janeiro e passar mais três meses por aqui.

Hoje também é o dia de los muertos. Fui com um grupo de amigos daqui ao cemitério geral de La Paz. O dia dos mortos é o dia de celebrar os mortos que se foram. Não parece em nada um dia triste e além de mim, não vi mais ninguém chorando. Música, oferendas, comida, bebidas e flores, muitas, muitas flores.

Um senhor, me vendo fotografar as oferendas de sua família, que estavam no chão (frutas, biscoitos, pipocas, e t’antawawa – pão feito em forma de pessoa) começou a me explicar as tradições, as oferendas. Depois nos deu parte das oferendas. Queria nos dar mais coisas, mas não aceitamos. A energia de festa para os mortos dentro do cemitério, os mariachi tocando na frente dos túmulos, a boa vontade com a minha câmera e com a minha curiosidade estrangeira: transbordei em lágrimas abundantes. Devo ter assustado meus amigos. Mas me senti tão conectada com este povo, com sua forma de pensar na morte e nos mortos.

Esta foi uma semana intensa, com um trabalho de fotos para a Artesania Sorata. Foram várias etapas,  fotos de moda e documental, filmagem, entrevistas. Depois de três semanas fora de La Paz, nem pensei que, nesta breve volta, novamente a altitude me faria mal, que ficaria exausta e sem fôlego, que dormiria mal, mas apesar do estresse todo, neste último dia em La Paz, tenho uma sensação reconfortante de dever cumprido, de alegria pelos amigos que deixo aqui, pelas conexões especiais que aconteceram.

Daqui a 1 hora entramos no ônibus em direção a Puno, no Peru. Vamos passar uns dois dias no lago Titicaca e depois seguir para Cuzco, onde devo encontrar um grande amigo de Nova Iorque, que está viajando pelo Peru.  Não sei o que nos aguarda nos próximos dois meses, mas a Bolívia foi um país me ensinou muito, sobre mim, sobre ela, sobre a vida no altiplano, sobre tanta coisa.

Nas próximas semanas, vou tentar atualizar o blog, com todas as fotos e histórias da viagem.

Até lá!

 

4 Replies to “Dia de los Muertos”

  1. Gracias, muito mesmo, suas dicas são preciosas. Sobre o Uruguai, também acho que tudo que está acontecendo por lá me chama muito a atenção, pois pelo que leio, as reformas estão sendo muito mais amplas do que se acredita e em breve veremos os resultados.

    Em pensar que tudo que acontece por lá começou com o plano de mutirões de auto-gestão. Uma experiência que tive aqui e percebi o poder que isto tem em um grupo de pessoas que entram pela porta do sonho da casa própria e acordam para a realidade em que vivemos. É simplesmente um milagre, um lindo milagre. Eu vi isto acontecer, mesmo não tendo o mesmo plano que os Uruguaios, pois eles contavam com representantes de todas as áreas da sociedade e faziam o mutirão por grupos de pessoas de uma mesma profissão, enfim é extenso demais para poder caber aqui, mas na minha caminhada na prefeitura da Luiza Erundina, eu vi algo muito semelhante acontecer. As pessoas passaram de sem teto para com cidadania. É lindo.

    Quanto ao seu amigo Eder Chiodetto, gostaria muito de conversar com ele. Se você puder passar meu e-mail para ele, ficaria muito grata. Reiterando a minha oferta se precisarem de alguma coisa em que eu possa ajudar é só falar.

    Abraços,
    Bia

  2. Ola para vocês, brava gente brasileira que sabem o valor de uma cultura e o respeito devido há todas elas. Nossa, nem acreditei quando ao abrir o link que recebo do blog do LN (não abro quase nenhum nunca tenho tempo), me deparei com uma história de pessoas que estavam fazendo exatamente o que pretendo fazer. Sou arquiteta, mãe em desuso e depois de me cansar de tanto desviar dos caminhos que pretendi na minha vida, pensei o que gostaria de fazer com o resto dela e decidi fazer exatamente o que vocês estão fazendo. Não da mesma maneira e nem trabalhando como vocês, pois não sou da área, mas vendo outros mundos para ver as semelhanças e as diferenças. Antes porém preciso fazer um curso de fotografia para depois fazer planos de viagem. Quando me formei arquiteta queria dividir o conhecimento que minha vida havia gentilmente me dado com aqueles que não tiveram esta gentileza, mas sim outras e que também dividiam com aqueles que sabiam respeita-los e estavam atentos aos seus ensinamentos que eram de uma origem muito mais distinta. Gosto muito deste lado antropológico da vida cotidiana. Nesta época tive a sorte de ser contratada pela PMSP para trabalhar com reurbanização de favelas e mutirão de auto-gestão. Um programa com base na experiência vivida por Uruguaios e que depôs pacificamente o regime ditatorial de 30 anos. Hoje as notícias que veem do Uruguai me parecem promissoras e por este motivo gostaria de começar, daqui há alguns anos, por lá. Outro lugar que me interessa muito é o Peru, pois não sei muito sobre este povo tão gentil e que é tão desmerecido por todos. Bom, por hora chega. Gostaria de pedir a vocês uma dica do curso que devo fazer e quais outras coisas que podem me ajudar. Precisando de alguma coisa é só falar. Bom caminho boa sorte e muitas felicidades para vocês.
    Saudações Beatriz Capuani

    1. Olá Beatriz! :)

      Que delícia que você também está pensando em fazer uma viagem pela América do Sul. Tem tanta coisa para ver, foi difícil decidir o roteiro, e mesmo depois de termos decidido, fomos percebendo ao longo do caminho que queríamos modificá-lo. :)

      Tenho um carinho todo especial pelo presidente uruguaio e pelo que está acontecendo por lá. Para mim, parece um avanço sem tamanho em questões tão importantes e tenho esperanças que, com isto, portas se abram em outros lugares da Am do Sul, especialmente no Brasil.

      Sobre o curso, na minha opinião, os melhores cursos no Brasil estão no Senac. Mas te aconselho a dar uma pesquisada antes de entrar em qualquer curso, tentar saber quem vai ser o professor e como é o trabalho dele. Outra opção, seria contratar um fotógrafo ou editor, para te orientar. Vc vai fotografando e a pessoa te orienta no seu processo, na edição, no tratamento da imagem. Seria uma coisa menos formal, mas que acho que vale muito a pena. Não sei como é seu material, mas Eder Chiodetto faz um trabalho assim. Tenho um amigo cuja carreira deslanchou a partir deste processo com o Eder.

      Bem vinda a bordo! Volte sempre!

      Beijo,
      Elaine

Leave a Reply